Sobre o Desejo, pela Necessidade e Demanda

d = N – D

d = Desejo
N = Necessidade
D = Demanda

 

A Demanda se faz com palavras, é o que se pode falar da Necessidade. É aquilo que se pode pedir para articular, organizar e atender a Necessidade.
Pela Demanda se comunica, aos outros e a si, o que se necessita, o que se precisa e o que se quer.
É através da Demanda que conseguimos ficar vivos e em relação com os outros e com o mundo.

Mas há uma parte da Necessidade que sobra, que resta e persiste depois da Demanda.
Há uma parte que não cessa: o Desejo.

O Desejo é o que resta de Necessidade depois da Demanda, é aquilo que a articulação em palavras não conseguiu satisfazer da Necessidade.
O Desejo é aquilo que não é satisfeito através da Demanda.
O Desejo está “fora das palavras”, apesar de ser moldado e emoldurado por elas.

Quanto mais palavras se tem para fazer a Demanda, melhor se consegue dizer as Necessidades e melhor será delimitado o Desejo.
Quanto mais se consegue falar dos sentimentos e das Necessidades, melhor é cercado e melhor é apreendido o Desejo, sempre de maneira indirecta.
O Desejo é “o que não tem nome nem nunca terá”.

A satisfação de um Desejo causa prazer e, ao mesmo tempo, estranheza. Prazer pois há uma parte da necessidade que é satisfeita. Estranheza pois há uma parte que escapa da palavra, que escapa do que se consegue dizer, que é estranha.

O Desejo pede acto, acção, fazer. É uma experiência: aceitar o fim da fala, num momento onde só se pode agir. É o momento de deixar de usar as palavras e simplesmente fazer o acto, como na anedota “cala a boca e me beija”. Por mais que se peça, só se satisfaz pelo acto, não no acto em si, mas através dele.

O Desejo é acto com surpresa, imprevisibilidade e manifestação de vontade.
Ele atinge alguma coisa além do acto.
Ele atinge a sobra da Necessidade: aquela satisfação à qual faltam palavras.

O Desejo não se pede e só se satisfaz por invasão e pelo inesperado.

Talvez por isso que a surpresa amorosa causa estranhamento e satisfação.
Talvez por isso ela pode ser tão difícil de suportar.

 

 

Graciosa, 07/Nov/2020.