Paiterno

Paiterno

Acções Culturais de Paternidade, Laços Afectivos e criação de filhos.

Paiterno é uma proposta de Acções Culturais para potencializar a Paternidade e os Laços Afetivos, principalmente através dos vínculos e do cuidado com os filhos, com os parceiros na criação dos filhos e nas relações em torno das crianças.

Paiterno e Psicanálise

Oficina de Paternidade

Cultivar ferramentas para os Laços Afectivos e a Paternidade de cada Um

Como Nasce um Pai?

Como Nasce um Pai?

Uma série de Lives para celebrar a Paternidade

Oficina de Paternidade

Paiterno e Psicanálise

Cultivar ferramentas para os Laços Afectivos e para a Paternidade de cada Um, principalmente na relação com os filhos, com os parceiros na criação dos filhos e nas relações em torno das crianças.

Próximas datas

De momento não existem próximos eventos.


 

Horário de Portugal.
Para o Brasil, é preciso contar 4 horas a menos.

A intenção da Oficina

É uma Oficina de cultivo da Paternidade de cada Um através da criatividade.

Assim, pretendemos que seja um espaço onde cada Pais e Mães pode falar sobre Paternidade.

Ao mesmo tempo, é um momento de diálogo e apoio para criar, cultivar ou aprimorar as relações e os Laços Afectivos.

Buscamos, acima de tudo, Construir relações respeitosas, sensíveis e afectuosas, seja com os filhos, com os parceiros ou com quem estiver próximo das crianças.

Para isso, a proposta está apoiada nas práticas da Escuta Empática, da Comunicação Não-Violenta, da Disciplina Positiva e da Psicanálise.

As Bases

Queremos realizar encontros periódicos (mensais) de partilhas, nutridos principalmente de confiança e apoio mútuo.

O objectivo é cultivar ferramentas e recursos que ajudam os Pais (e as Mães, também) a libertar a sua criatividade nas relações cotidianas com os filhos. Com isso, criam-se relações respeitosas, sensíveis e afectuosas com os filhos e com os parceiros na criação dos filhos, fortalecendo os Laços Afectivos que constroem as relações com as crianças e em torno das crianças.

É uma proposta em construção constante e gostaríamos que cada um pudesse manifestar as suas inquietações para construirmos juntos esta proposta.

Quem conduz a Oficina é Gilson Beck.

Valores

A contribuição é feita por transferência bancária após a Oficina.

Em nosbobos.pt/banco estão as informações bancárias para as transferências.

Valor A

Para quem escolhe contribuir com o valor de base.

  • Portugal: 15€
  • Brasil: R$60

Valor B

Para quem escolhe contribuir com menos do que o valor A.

  • Portugal: 5€
  • Brasil: R$20

Valor C

Para quem escolhe contribuir com mais do que o valor A.

  • Portugal: 25€
  • Brasil: R$90

Inscrição e Contacto

A inscrição é fundamental para a organização da Oficina.

Pedimos que preencha as informações abaixo.

Se preferir, pode contactar pelo +351 912 104 122 (Telemóvel/WhatsApp).

Textos de Apoio

Com o propósito de inspirar a Paternidade de cada Um e apoiar os Laços Afetivos, disponibilizamos aqui aos textos da Nós Bobôs relacionados Paternidade e Criação de Filhos.

Quem conduz a Oficina

Gilson Beck

Gilson Beck

É professor e usa a Psicanálise, a Comunicação Não-Violenta e a Disciplina Positiva como as principais ferramentas para as aulas e para a relação com os alunos.

Com o intuito de perceber melhor as variadas formas de relações humanas, estuda Psicanálise na Antena do Campo Freudiano (ACF-Portugal) e tem contato com a Rede Portuguesa de Doulas. Sob o mesmo ponto de vista, seu primeiro contato com a CNV foi nos cursos do Dominic Barter (no Rio de Janeiro) e depois com o Instituto CNV Brasil (Brasília).

É mestre em composição musical pela Universidade de Évora e sua tese explora uma técnica de composicional apoiada na teoria da Psicanálise de Jacques Lacan, principalmente na teoria do Nó Borromeano e do RSI. Como resultado, suas composições receberam o «Prêmio Funarte de Composição Clássica» por 3 vezes consecutivas.

Além disso, é pai de um menino de 6 anos e alguns meses.

Para manter uma sistematização teórica que dá suporte às práticas, escreve sobre os temas da Nós Bobôs (nosbobos.pt/textos).

Como Nasce um Pai?

Uma série de Lives para celebrar as Paternidades.

Como Nasce um Pai?

Queremos tecer conversas sobre Paternidade tendo como base a pergunta: «Como Nasce um Pai?».

Próximas datas

De momento não existem próximos eventos.

Horário de Portugal.
Para o Brasil, é preciso contar 4 horas a menos.

Argumento das Lives

Nas lives, falaremos com pessoas envolvidas diretamente com nascimentos. Nesse sentido, convidaremos doulas, obstetras e enfermeiras obstetras para que partilhem suas histórias, observações e inquietações a partir da pergunta base.

Além disso, gostaríamos de conversar e de pensar juntos sobre as questões relacionadas ao nascimentos dos pais e o seu envolvimento com a gestação, o parto e o puerpério

Textos de Apoio

Com o intuito de instigar a conversa, apresentamos alguns textos da Nós Bobôs sobre «Paternidade, Criação de Filhos, Gestação e Parto».

Lives passadas

  • 14 Agosto @ 19:00

    Live com Ana Cristina Porfírio (psicóloga e doula)

    Ana Cristina Porfírio é Terapeuta, Psicóloga e Doula. Envolve-se, principalmente, com a coordenação do Curso de Doulas do VirAser (Uberlândia/MG). Por fim, ela foi a primeira Doula a apoiar a Paiterno. @anacrisporfirio

  • 15 Agosto @ 11:00

    Live com Silvia Caires (obstetra)

    Silvia Caires é Médica e sua prática concentra-se, principalmente, na assistência humanizada à gestação, ao parto e às diferentes fases da vida da mulher. Foi a obstetra que acompanhou o nascimento do meu pequeno. @silviahelenacaires

  • 17 Agosto @ 18:00

    Live com Carolina Santana (psicanalista)

    Carolina Santana é Psicanalista e Mestre em Psicologia Aplicada pela Universidade Federal de Uberlândia. É mãe do Joaquim e, entretanto, está gestando mais uma nova vida. @carolinasantana82

  • 20 Agosto @ 18:00

    Live com Kelly Mamede (doula)

    Doula, presta assistência à Gestação, ao Parto e ao Puerpério no «Flore Ser Materno». Trabalha com aconselhamento parental e conjugal. É gestora do Espaço Hábita. Foi a doula no nascimento do meu pequeno. @kellymamede1